julho 04, 2005

João Paulo Ramôa - candidato PSD a Beja

Como sempre, por estas paragens, as mais utilizadas armas de combate político e social são a velada maledicência, a intriga surda e o boato, atigindo, desta vez o candidato do PSD à Câmara de Beja nas próximas autárquicas.
Diz-se em "off" (sempre tudo em "off" nesta terra) que o facto de ser sócio de uma empresa de construção civil é incompatível com o exercício do cargo a que concorre.
Ora, João Paulo Ramôa, engenheiro civil de profissão com obra feita na terra, não consta, bem pelo contrário, que tivesse tentado obter qualquer benefício pessoal enquanto Governador Civil que foi nos últimos anos, com elevado prejuízo financeiro.
Por outro lado, por essa lógica, quem poderia escapar a uma qualquer incompatibilidade? Funcionários públicos e camarários? Professores? Gerentes bancários? Chefes de finanças...? Isto toca as raias do ridículo!
Uma pessoa séria terá de ser considerada enquanto tal e não deverá ser apunhalada na penumbra do "diz que disse" na sua dignidade, seja qual for a sua raça, religião, sexo ou profissão.
Beja pode e deve orgulhar-se de ter (talvez pela primeira vez) três excelentes candidatos à Presidência da sua Câmara! Não deveria ser um motivo de orgulho?