novembro 04, 2005

Região de Turismo do Alentejo

As regiões de turismo alentejanas são dos frutos mais perversos de uma certa submissão das realidades regionais à realidade dos interesses políticos e dos interesses de algumas capelinhas que se lhes acoplam.
Há uns tempos atrás, em Janeiro, tinhamos aqui referido o contra-senso de concelhos como os de Alvito, Cuba, Vidigueira, Viana do Alentejo e Portel, por exemplo, se encontrarem divididos por duas regiões de turismo. Esses eram os tempos da famigerada Comurb e todas as opiniões que contrariavam esta ideia eram perfeitamente ignoradas. Apostava-se então no turismo no espaço rural, -que afiançámos exageradamente que nunca utilizaríamos por causa do cheiro a mofo- como agora se aposta nos campos de golfe. Realizavam-se -e publicavam-se!!!! nos jornais da região, com direito a parangonas e tudo- estudos de mercado com base nas respostas de 199 turistas 'apanhados descuidados nas Portas de Mértola'. O oito ou oitenta habitual neste país.
Eis que esta temática -a da excessiva e injustificada fragmentação das regiões de turismo alentejanas- foi agora levantada no Diário do Alentejo por um gestor do meio. Por um homem que investiu aqui milhões de contos e tem a autoridade necessária para criticar a falta de hotéis no Baixo Alentejo, as acções desconchavadas das várias regiões alentejanas, a incapacidade de nós, alentejanos, investirmos tempo, dinheiro e conhecimento no azeite e no vinho, a incapacidade dos propalados gebinetes do investidor. Um homem que fez muitas e acertadas críticas às opções que têm (des)norteado o nosso Alentejo e que aqui na Torre já têm sido criticadas.
Esperemos que estas críticas não caiam no saco de sempre, naquele ali à esquina da capela... no que está mais roto.

2 Comentários:

às 4:36 da tarde, Blogger ernesto esteves escreveu...

Deixo-lhe aqui um convite: Pareça no meu blog ;)

 
às 7:04 da manhã, Anonymous Anónimo escreveu...

That's a great story. Waiting for more. » »

 

Enviar um comentário

<< Home